ADAM LALOUM

piano

DOMINGO | 05 DE ABRIL | 11H30

J. Brahms (1833-1897)
8 Klavierstücke op. 76 (1871/1878)

      Capriccio. Allegretto non troppo

      Intermezzo. Grazioso

      Intermezzo. Allegretto grazioso

      Capriccio. Agitato, ma non troppo presto

      Intermezzo. Andante con moto

      Intermezzo. Moderato semplice

      Capriccio. Grazioso ed un poco vivace

 

F. Schubert (1797-1828)

Sonata n. 13, em dó menor, D. 958 (1828)

      Presto Allegro

      Adagio

      Menuetto. Allegro - Trio

      Allegro

ADAM LALOUM recebeu reconhecimento internacional ao obter, em 2009, o 1º prêmio no prestigiado Concurso Clara Haskil. Em 2017, ganhou o Victoires de la Musique na categoria “Instrumentista do Ano”.

 

Adam já solou com orquestras como a Mariinsky / Valery Gergiev, Deutsches Sinfonieorchester Berlin / Nicholas Collon na Filarmônica de Berlin, Orquestra de Câmara de Lausanne / Joshua Weilerstein, Orquestra Nacional de Bélgica / Hugh Wolf, Filarmônica da Radio France / Sir Roger Norrington, Filarmônica de Monte Carlo / Alain Altinoglu, Orquestra Nacional de Lyon / Gabor Takacs-Nagy, Filarmônica Real de Liège / John Neschling, Suisse Romande / Jonathan Nott, Filarmônica de Strasburgo / Jesus Lopez-Cobos, Luzerner Sinfonieorchester / James Gaffigan, Orquestra do Capitólio de Toulouse / Joseph Swensen, Sinfônica da KBS / Yoël Levy, Orquestra Nacional de Bordeaux / Jaime Martin, Orquestra WDR de Stuttgart.

Já se apresentou no Théâtre des Champs Elysées, Wigmore Hall, Herkulessaal de Munich, Tonhalle de Zürich, Auditório do Louvre, Piano à Lyon, Grand Théâtre de Bordeaux, Grand Théâtre d'Avignon, Societé Chopin de Berna, Palais des Beaux-arts de Bruxelles, Bilbau, Japão, assim como nos festivais de Ruhr, Verbier, Lucerne, Roque d'Anthéron, SWR Schwetzinger Festspiele, Chaise-Dieu, Folles Journées de Nantes, Colmar, Menton, Périgord Noir, Piano aux Jacobins, Piano de Lille, Paques de Deauville, Zermatt, Bad Kissingen, Mecklemburg-Vorpommmern.

Após um primeiro álbum com obras de Brahms (Mirare), Adam Laloum gravou outro dedicado a Schumann com a Humoresque op. 20 e Sonata n° 1, op. 11. Esta gravação recebeu o “Diapason d'or” de 2014, o Grande Prêmio da Academia Charles Cros, o ffff do Télérama e 5 estrelas do Fono Forum na Alemanha. Em seguida lançou um CD dedicado à Schumann e Schubert, também para a gravadora Mirare. Assinou então contrato de exclusividade com a Sony Music cuja primeira gravação, em 2018, incluiu os dois concertos para piano de Brahms com a Orquestra Sinfônica da Rádio de Berlin, sob a regência de Kazuki Yamada.

 

Um apaixonado pela música de câmera, Adam Laloum fundou o Trio les Esprits com o violoncelista Victor Julien-Laferrière e o violinista Mi-sa Yang. Sua última gravação (para Sony Music) foi recomendada pela revista britânica The Strad. O registro das Sonatas e Trio com clarinete de Brahms, com o clarinetista Raphaël Sévère e o violoncelista Victor Julien-Laferrière, recebeu um Diapason d'or e um ffff do Télérama. Com a violista Lise Berthaud, lançou um álbum dedicado a Schumann, Schubert e Brahms, que também recebeu um Diapason d'Or.

Desde 2015 é o diretor artístico do festival Les Pages Musicales de Lagrasse, dedicado ao repertório camerístico.

Adam Laloum começou a tocar piano aos 10 anos. Realizou seus estudos musicais no Conservatório de Toulouse antes de ingressar no Conservatório Nacional de Paris em 2002, na classe de Michel Béroff. Durante esse tempo, participou de masterclasses com personalidades como Dmitri Bashkirov e Paul Badura-Skoda. Recebeu seu diploma em junho de 2006 e continuou no Conservatório de Lyon com Géry Moutier. Ingressou então na classe de Evgeni Koroliov, em Hamburgo, ele próprio um 1º Prêmio Clara Haskil em 1977.

“O piano inefável desse artista traz consigo essa música, esse pouco de loucura e a nostalgia que caracterizou a arte única de Guiomar Novaes, Vladimir Horowitz, Clara Haskil, Wilhelm Kempff e alguns outros, incluindo Catherine Collard, que foi a rainha deste repertório (…)” Diapason d'Or, Alain Lompech.

© 2020 Temporada de concertos   l   Fundação Maria Luisa e Oscar Americano.