DIEGO NADRA

oboé

GABRIEL PÉRSICO

flauta

MÔNICA LUCAS

clarinete

ROGER LAGR,

violino

MARIELA MEZA

viola

WILLIAM COELHO

viola

HERMANN SCHREINER

violoncelo

DOMINGO | 15 DE SETEMBRO | 11H30

W. A. Mozart (1756-1791)

Quarteto para oboé e cordas em Fá Maior,

K. 370/368b (1781)

Allegro

Adagio

Rondo. Allegro

 

Quarteto para clarinete e cordas em

Mi bemol Maior K 378

Allegro moderato

Andantino sostenuto e cantabile

Rondo: Allegro

Quarteto para flauta e cordas

em Ré Maior, K. 285 (1777)

Allegro

Adagio

Rondo

DIEGO NADRA iniciou seus estudos de flauta-doce e oboé em Córdoba, Argentina. Entre 1997 e 2013 radicou-se na Holanda e se especializou em oboés históricos no Real Conservatório de Haia e no Conservatório de Amsterdam. Realizou concertos com importantes orquestras históricas, como a Akademie für Alte Musik Berlin, The Rare Fruits Council e Les Musiciens du Louvre Grenoble. Entre 2004 e 2006 apresentou-se como solista junto ao conjunto Musica Antiqua Köln.

 

Nascido em Buenos Aires, GABRIEL PÉRSICO graduou-se na Universidad de La Plata e doutorou-se na Universidad de Córdoba. Integrou grupos de música antiga como solista ao traverso e à flauta-doce. É primeira flauta da Orquestra Barroca de Suquía (Argentina). Possui diversas publicações sobre a música dos séculos XVI ao XVIII. É responsável pela cátedra de Estética Musical no Instituto Universitário de Artes e professor de Traverso Barroco, Música de Câmara e Retórica Musical no Conservatório Manuel de Falla em Buenos Aires.

 

MÔNICA LUCAS graduou-se na USP e especializou-se em música antiga no Real Conservatório de Haia (Holanda) como solista em flauta-doce e em clarinetes históricos. Participou de algumas das mais importantes orquestras barrocas da Europa, como Anima Aeterna, Akademie für Alte Musik Berlin, Concert des Nations e ensemble Zefiro. É professora do Departamento de Música da ECA-USP e diretora artística do Conjunto de Música Antiga da USP. Seu trabalho acadêmico envolve pesquisa sobre o gosto musical no séc. XVIII. Integra o conjunto de sopros históricos Harmoniemusik.

 

ROGER LAGR é Mestrando da USP, graduado pela UFRJ (2016) e formado em Violino Barroco pela EMESP (2015). Fez masterclass com Rodolfo Richter, Manfredo Kraemer, Mira Glodeanu, Ryo Terakado, Sthepanie Marie Degand, Juliano Buosi, Joëlle Perdaens e François Fernandes. Como solista, esteve à frente do Conjunto de Música Antiga da USP,  do Ensemble de Música Barroca de Versailles e da Orquestra Barroca da UNIRIO, da Orquestra de alunos do Festival Paesaggi Musicali Toscani (Siena - Itália). Apresentou-se nos principais festivais de música do Brasil e atuou como Spalla na Orquestra Barroca da UNIRIO e no Conjunto de Música Antiga da USP.

 

MARIELA MEZA iniciou sua atividade musical em Corrientes, Argentina, transferindo-se posteriormente para Buenos Aires, onde graduou-se no Instituto Nacional del Arte e no Conservatório Manuel de Falla. Integrou diversas formações como a Camerata Acadêmica, as Orquestras do Teatro Argentino de la Plata, do Teatro Colón, Sinfônica Nacional e a Orquestra de Tango de Buenos Aires. No âmbito da interpretação histórica, participou da Compañia de las Luces, Ensamble Violetta Club, Orquestra Barroca Argentina, Proyecto Bach Buenos Aires e Cuarteto Galante.

 

Doutorando e mestre em Musicologia, WILLIAM COELHO, bacharel em Regência pela USP, foi bolsista do Wind Conducting Symposium (Canadá), Festival de Campos do Jordão e Laboratório de Regência da Filarmônica de Minas. Foi diretor do Conservatório de Alfenas, regente do coro da Universidade Federal de Alfena e regente assistente do Coral e da Orquestra de Câmara da ECA-USP. É professor de Canto Coral da UNESP, de Harmonia da UFJF e de Regência Coral na Faculdade Paulista de Artes. É regente do Coral VivaVoz, do Coral da UFJF, do Conjunto de Música Antiga da USP e regente convidado da OSUSP e do Coro da OSESP.

 

Nascido em Córdoba, Argentina, HERMANN SCHREINER, formou-se com Cristián Montes. Foi primeiro violoncelo na Sinfônica da Universidade de Córdoba, na Filarmônica de Mendoza, na Orquestra Acadêmica do Teatro del Libertador e na Orquestra de Tango de Córdoba. Integrou a Sinfônica de Córdoba, Orquestra de Cordas de Córdoba, Youth Orchestra of the Americas e Orquestra de Câmara de La Plata. Ganhou menção honrosa nos concursos Internacional New Docta (2017) e Nicolas Finoli (2016). É spalla do Conjunto de Música Antiga da USP e, desde 2015, da Orquestra do Teatro Argentino.

© 2018 Temporada de concertos   l   Fundação Maria Luisa e Oscar Americano.