SEXTETO

CLÁUDIA NASCIMENTO,

flauta

RICARDO BARBOSA

oboé

OVANIR BUOSI

clarinete

ALEXANDRE SILVÉRIO

fagote

LUIZ GARCIA

trompa

OLGA KOPYLOVA

piano

W. A. Mozart (1756-1791)

Quinteto K. 452, para piano e sopros (1784)

Largo - Allegro moderato

Larghetto

Allegretto

J. Ibert (1890-1962)

Três peças breves para

quinteto de sopros (1930)

Allegro - En pressant jusqu'à la fin

Andante

Assez lent - Allegro scherzando - Vivo

F. Poulenc (1899-1963)

Sexteto para piano e sopros, op. 100 (1931-32)

Allegro vivace

Divertissement: Andantino

Finale: Prestissimo

DOMINGO | 17 DE MARÇO | 11H30

Nascida em São Paulo, CLÁUDIA NASCIMENTO integra a Osesp desde 2015. É bacharel pela Unesp e foi bolsista da Fundação Vitae em Paris, onde estudou com Philippe Pierlot, Michel Moraguès e Frédéric Chatoux. Já trabalhou com maestros como Lorin Maazel, Kurt Masur e Semyon Bychkov. Atuou como solista junto à OSESP, OSB e OER. Recebeu diversos prêmios, dentre eles, o primeiro lugar no XIV Concours Européen de Musique, na Picardia, em 2006. Integrou a OSB entre 2008 e 2014.

 

RICARDO BARBOSA iniciou seus estudos com Alexandre Barros e logo ingressou na Academia de Música da OSESP sob orientação de Joel Gisiger. Na Alemanha fez Mestrado e Doutorado com Christian Wetzel na Musikhochschule de Colônia e teve aulas com Peter Veale, Washington Barella, Kai Frömbgen e Michael Sieg. Foi vencedor de diversos prêmios, dentre eles, o Concurso Prelúdio da TV Cultura, Prêmio Eleazar de Carvalho, Concurso da Musikhochschule de Colônia e Concurso Internacional Primavera de Praga. É oboísta da OSESP desde 2011 e professor da EMESP desde 2014.

 

OVANIR BUOSI nasceu em Americana em 1975. Graduado pela Unesp na classe de Sérgio Burgani, continuou sua formação no Royal College of Music de Londres. Foi premiado no concurso Jovens Solistas da OSESP e no Prêmio Eldorado. Como solista, atuou frente à Orquestra de Southbank, Filarmônica de Belo Horizonte e OSESP. Foi professor do Festival de Santa Catarina, do Seminário de Música de Salvador e do Curso de Férias de Tatuí. Desde 1997, é primeiro clarinete solista da OSESP. É docente da Academia OSESP, do Instituto Bacarelli e do Conservatório de Tatuí.

 

Natural de Osasco, ALEXANDRE SILVÉRIO iniciou seus estudos de música através do piano. Em 1990 começou a estudar fagote na Escola Municipal de Música com Gustav Busch e Francisco Formiga. Estudou Jazz e Improvisação com Roberto Sion e Hudson Nogueira. Venceu os Concursos de Jovens Solistas da OER e da OSESP. Em 1997 passou a integrar a OSESP e em 1999 recebeu bolsa da Fundação Vitae para estudar com Klaus Thunemann, na Alemanha. Em seguida, ingressou na Academia da Filarmônica de Berlim. Desde 2004 ocupa a cadeira de primeiro fagote da OSESP. Também é professor da Academia da OSESP e desenvolve intenso trabalho com seu grupo de jazz.

 

Primeira trompa solista da Staatskapelle de Berlim a convite de Daniel Barenboim (2008-2009), LUIZ GARCIA iniciou seus estudos no Conservatório de Tatuí, frequentou a Juilliard School e o New England Conservatory, na classe de Charles Kavalovski. Integrou o Empire Brass (1995-1997) e o German Brass (2002-2006). Participou, como primeira trompa convidado, da Filarmônica de Berlim, Bayerischer Rundfunk, Suisse Romande, WDR, RSO, Tonhalle, Mahler Chamber Orchestra. Foi primeira trompa da OSESP (1997-2001), da OSB (2007-2014), da Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo (2012-2014) e professor da UNIRIO (2009-2014). Obteve premiações no Concurso Sul América (1988), Prêmio Eldorado (1989) e o 1º lugar no Tilden Prize de Nova York (1993). Leciona na Escola Municipal de Música e, desde 2015, reassumiu o cargo de primeira trompa da OSESP. Recentemente atuou como primeiro trompista convidado junto à Sinfônica de Chicago.

 

OLGA KOPYLOVA nasceu no Uzbequistão. Começou a estudar piano aos quatro anos com o pai. Em Moscou, estudou no Colégio de Música Tchaikovsky e no Conservatório Tchaikovsky, com Tatiana Galitzkaya e Liudmila Roshina. Mudou-se para o Brasil em 2000, para assumir o posto de pianista da OSESP. Em 2002 lançou o CD solo Estrela da Manhã, com obras de compositores russos. Já foi solista de diversas orquestras do Brasil e do exterior, sob regência de John Neshling, Roberto Minczuk, Giancarlo Guerreiro, Valentina Peleggi e Scott Seaton. Desenvolve trabalhos camerísticos com solistas internacionais, como Johannes Moser, Nicolas Koeckert, Alexander Chaushian e Ransom Wilson, mantendo formações fixas como o Vesper Trio e Duo Kopylova&Rakevich.

© 2018 Temporada de concertos   l   Fundação Maria Luisa e Oscar Americano.