Liuba.jpg

LIUBA KLEVTSOVA

harpa

DOMINGO | 08 DE AGOSTO | 11H30

J. S. Bach (1685-1750)

Allemande, da Suíte para Alaúde n. 1, BWV 996 (adaptação de M. C. Jamet)

 

M. Glinka (1804-1857)

Noturno

 

G. Donizetti  (1797-1848) /

A. Zabel (1834-1910)

Solo de Harpa de opera Lucia di Lammermoor

 

M. Glinka (1804-1857) /

M. Balakirev (1837-1910)

Cotovia

 

C. Debussy (1862-1918)

La fille aux cheveux de lin (Prelúdio n. 8, vol. 1)

 

J. Damase (1928-2013)

Siciliana com variações

 

F. Poenitz (1850-1912)

Balada nórdica, op. 33

A russa LIUBA KLEVTSOVA começou a estudar harpa aos 7 anos em uma escola de Moscou, com a professora Elena Pavlova. Aos 15 anos conquistou o 1º Prêmio no II Concurso Moscovita de Jovens Harpistas e entrou para a Escola de Música do Conservatório Tchaikovsky de Moscou, na classe de Margarita Maslennikova. Em seguida, passou a dar aulas na Escola Municipal de Música de Moscou e intensificou seu trabalho como solista nas principais salas de concerto da Rússia.

Graduou-se na classe de Vera Dulova no Conservatório Tchaikovsky de Moscou. Em 1997, foi premiada no Concurso Internacional de Música de Moscou e, no ano seguinte, tornou-se professora oficial da Escola de Música da cidade Elektrostal. Após sua formação acadêmica, no ano 2000, Liuba integrou a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo como harpista convidada e a partir de 2001 como Harpista Principal, posição que ocupa atualmente.

 

Leciona em importantes festivais de música do país, como o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão. Atua como solista nas principais orquestras do Brasil e professora da Academia da OSESP.